5G BRASIL_FOTO

Experiência 5G começa a ser testada no Brasil, mas serviço ainda é limitado

Nesta primeira fase, usuário terá mais velocidade, mas experiência completa vem só depois de leilão da Anatel, previsto para 2021.

Em um mundo cada vez mais conectado, a expectativa para o 5G só aumenta. A internet móvel de quinta geração promete trazer velocidades ainda maiores e ‘conversa’ entre máquinas. Incrível né? Imagine então fazer parte da primeira parte da experiência do 5G no Brasil.

Três operadoras do país irão ativar o sinal de internet móvel de quinta geração até setembro. Mas já no mês de julho duas delas prometem lançar o serviço.

O acesso ainda será limitado já que o Brasil tem apenas um aparelho de celular que suporta o 5G, o Motorola Edge. O sinal será ativado apenas em alguns bairros de oito capitais do país. As operadoras explicam que a nova tecnologia ainda não conta com todo o potencial prometido pelo 5G. Esta é apenas uma fase inicial, na qual as operadoras ativam o novo sinal a partir de um recurso que permite compartilhar frequências utilizadas pela rede 4G através do recurso conhecido como DSS (Dynamic Spectrum Sharing, ou Compartilhamento Dinâmico de Espectro).

A expectativa é que o usuário tenha uma conexão mais veloz que o 4G, que deve ser intensificada após o leilão de frequências da Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel, previsto para 2021.

No Brasil, o 5G será ativado pelas operadoras Claro, Vivo e TIM. A Claro já ativou seu sinal que será disponibilizado gradualmente até o final de setembro, nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Na capital Paulista vai ser possível ter acesso a tecnologia usuários da Avenida Paulista e região dos jardins. O sinal também vai se estender pelos bairros de Campo Belo, Vila Madalena, Pinheiros, Itaim, Moema, Brooklin, Vila Olímpia, Cerqueira César, Paraíso, Ibirapuera e região da Avenida Berrini e de Santo Amaro.

Já no Rio de Janeiro, o 5G está disponível em Ipanema, Leblon e Lagoa. O sinal também vai se estender por toda a orla, do Leme até a Barra da Tijuca, passando pelo Jardim Oceânico, São Conrado e Copacabana.

A Vivo irá ativar seu sinal no dia 24 de julho nas seguintes localidades: São Paulo: regiões da Avenida Paulista, Vila Olímpia e Berrini; Brasília: Eixo Monumental, Esplanada dos Ministérios e shoppings; Belo Horizonte: regiões de Savassi e Afonso Pena; Salvador: Pituba e Itaigara; Rio de Janeiro: Copacabana, Ipanema e Leblon; Goiânia: região central da cidade; Curitiba: Centro Cívico, Alto da Glória, Batel e Água Verde; Porto Alegre: Moinhos de Vento, Avenida Carlos Gomes e Shopping Iguatemi.

Já o sinal da operadora TIM será ativado a partir de setembro, nas cidades de Bento Gonçalves – RS, Itajubá – MG e Três Lagoas – MS.

Fonte: Globo.com

WHATSAPP_FOTO

WhatsApp apresenta novas facilidades para Provedores de Internet

Como utilizar o WhatsApp no atendimento da sua empresa e conectar seu negócio?

Desde 2009 o WhatsApp vem sendo a principal ferramenta de mensagens em todo mundo. O aplicativo é extremamente popular e mensalmente são 1,5 bilhão de usuários ativos segundo números da própria companhia.

Negócios em todo o mundo aderiram ao WhatsApp para facilitar o atendimento com seus clientes já que hoje é o principal meio de comunicação da maioria da população. O WhatsApp Business, por exemplo, é o mais utilizado por empresas. A solução lançada no início de 2018 é destinado para facilitar a gestão e o atendimento. Com essa versão destinada a micro e pequenas corporações é possível criar um perfil de negócio com informações para que o cliente possa acessar de maneira fácil, como nome, descrição, endereço e, site. O WhatsApp Business também permite recursos de mensagens rápidas, de saudação e de ausência que facilitam bastante a interação. O aplicativo também oferece métricas simples e permite a organização de contatos e conversas por etiquetas.

A versão Business do WhatsApp foi bem aceita por Provedores de internet de todo o Brasil. Ele permite uma comunicação simples, rápida e direta com o consumidor. A ferramenta permite que o profissional de ISP resolva inúmeras questões com seus clientes como solicitação do auto desbloqueio da linha, abrir um atendimento no suporte técnico para comunicar sobre a falta de internet na região, tirar dúvidas sobre os planos de adesão e buscar informações financeiras.

Algumas empresas do setor costumam até personalizar o seu atendimento pela ferramenta. No próprio site da empresa clicando no ícone do WhatsApp o consumidor pode realizar facilmente seu atendimento. Hoje empresas oferecem serviços próprios para provedores que incluem Chabot: mensagens de texto e fluxos automatizados enviados de maneira automatizada via WhatsApp e possibilidade de incluir a qualquer momento do fluxo um transbordo de atendimento para um chat humano, entre outras possibilidades.

E para facilitar ainda mais o negócio de Provedores de Internet e empreendedores de todo o mundo, o WhatsApp anunciou o lançamento de novas formas de conexão. Agora é possível criar códigos QR para que pessoas tenham acesso a uma conversa com um negócio. Além disso, é possível compartilhar um link para o catálogo de produtos do aplicativo de mensagens.

O código QR funciona como a porta de entrada digital de uma empresa facilitando o primeiro contato de um cliente. Antigamente, era preciso salvar manualmente o número de telefone de interesse na agenda de contatos. O novo recurso do WhatsApp permite que a pessoa escaneie o código QR do seu provedor para iniciar uma conversa. Isso permite o envio rápido de promoções, novidades, pacotes e planos de internet tornando a conversa mais dinâmica.

Já o catálogo permite que os provedores exibam e compartilhem seus serviços de telecomunicações, o que pode ajuda-los a fechar vendas. Desde o seu lançamento, o recurso tornou-se uma das maneiras mais populares de interação entre clientes e empresas.

Estes recursos já estão disponíveis para empresas do mundo todo que usam o aplicativo WhatsApp Business.

MVNO_FOTO

MVNO pode ser um importante aliado para Provedores de Internet

A inserção de ISPs no mercado de Operadoras Móveis pode abrir um leque de opções para o crescimento destes profissionais

Você já ouviu falar de MVNO (Mobile Virtual Network Operator), que quando traduzido é conhecido como Operadora Móvel Virtual? Trata-se de uma operadora de serviços de telefonia móvel que não possui frequência e, por isso, não tem uma rede própria para disponibilizar o serviço de telefonia móvel. Para isso, este provedor precisa utilizar a cobertura de outras empresas de telecomunicações por meio de um acordo mútuo entre as duas partes. Resumindo, são instituições que fazem parcerias com as operadoras tradicionais para usarem sua infraestrutura de rede e afins para criar novas utilizações para essa mobilidade.

O mercado de telecomunicações está em constante evolução. Provedores de internet surgem diariamente e vem ganhando espaço entre as grandes empresas do ramo. A Operadora Móvel Virtual é um negócio que pode dar muito certo, caso seja feito de maneira adequada. Esse novo modelo pode maximizar vantagens aos clientes, gerando novas fontes de receita, além de competitividade no mercado de serviços de telecomunicações.

Algumas empresas de telecomunicações e provedores de internet como a Use Telecom, Brisanet e Mob Telecom já aderiram ao MVNO. Essa iniciativa permitirá que mais pessoas tenham acesso à telefonia móvel por meio de seus provedores. Assim, clientes podem ter um leque completo de serviços, por um preço competitivo vindo de fornecedores que já conhecem e confiam.

“Conforme dados da consultoria Teleco, os provedores regionais (ISPs) respondem por 28% das conexões de Internet de banda larga no país, atrás apenas da operadora líder que tem 30%. Na banda larga móvel, todavia, as MVNOs (operadoras móveis virtuais) ficam em 0,01% do total. Em contrapartida, no segmento M2M (conexão entre máquinas), a participação das MVNOs chega a 5%.” – Fonte: site Telesíntese.

Dados da Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel confirmam que 78,2% dos municípios no país possuem cerca de cinco ISPs ativos, criando um mercado competitivo de serviços convergentes (Internet, TV, voz). Já os serviços móveis apresentam pouca oportunidade para uma oferta restrita à conectividade.

No entanto, o Plano Nacional de IoT prevê movimentação média de R$400 bilhões até 2025 para recursos relacionados a interconexão de máquinas e dispositivos. Diante disso, a parceria do novo negócio MVNO com provedores de internet é bastante inovador para o mercado, mas tudo indica que seja uma grande oportunidade para empresas, que têm acesso mais ágil às inovações com fornecedores, conhecem as demandas junto com seus clientes.

Fonte: telesintese.com.br e teleco.com.br

BUSCA PROVEDORES_FOTO

Busca por Provedores de Internet regionais aumenta durante a quarentena

O crescimento do setor faz com que profissionais busquem novas alternativas de serviços para se destacar no mercado

Os provedores regionais representam 73% do total de novos acessos à banda larga no País e indicam uma tendência para 2020: cada vez mais pessoas desistem do serviço das grandes operadoras e optam pelos pequenos e médios provedores, seja pelo preço ou pela disponibilidade do serviço em áreas rurais ou afastadas da região central. Os dados da Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações mostram um salto de 2,45 milhões para 9,88 milhões de conexões, entre 2009 e 2019, passando a superar os gigantes do setor em número de assinantes de banda larga, porém, apenas durante os meses de fevereiro e março, as buscas na internet por provedores regionais cresceram 42,8%, de acordo com levantamento feito pelo site Melhor Plano.

Pela pesquisa também é possível analisar que houve um aumento de 36% nas buscas por serviços de TV por Assinatura em canais de atendimento de Provedores Regionais. Com isso, é possível concluir que esse é um campo que pode ser explorado pelos ISPs. Oferecer integração de TV aos clientes é uma maneira de entregar não apenas mais um serviço, mas também de fidelizar o público para que não precise migrar para uma empresa que ofereça essa junção.

A mesma pesquisa também aponta o crescimento da audiência individual de canais de TV por assinatura durante a Pandemia. O consumo de canais de entretenimento, por exemplo, avançou 36% com atrações como reality-shows e programas infantis. Durante o isolamento social também houve um aumento no consumo de internet. Como já citamos em outros artigos neste blog, Com mais pessoas em casa, a internet se tornou a principal ferramenta para trabalhar, estudar, se comunicar, e até fazer compras on-line. Nesse cenário, os pequenos e médios provedores vêm demonstrando seu valor social ao garantir a conexão em zonas urbanas e áreas de vulnerabilidade nas quais as grandes operadoras não chegam.

Hoje o principal desafio do Provedor de Internet é fidelizar seus clientes. O mercado ISP vem crescendo diariamente, com isso, aumenta o número de empresas que oferecem esse tipo de serviço. Diante disso, cabe a esses profissionais encontrarem oportunidades para fidelizar sus clientes com soluções de qualidade a preços mais competitivos.

O mercado de Telecom nas últimas décadas vem sendo transformado e promovendo mudanças estruturais na sociedade e nas corporações a partir dos impactos que a alta conectividade impôs aos negócios, pessoas e equipamentos abrindo um leque de oportunidades para o mercado de provedores de internet, principalmente os pequenos que atualmente já lideram o mercado em mais de 1.200 municípios, sendo responsáveis por 12% do total de conexões do país, de acordo com estimativas recentes da Anatel. Diante disso, muitos Provedores já estão oferecendo planos de TV por assinatura. A novidade pode alavancar os negócios dos ISPs brasileiros, levando não apenas a audiência dos canais, mas atrelando a força das marcas ao nome dos provedores regionais.

Estima-se uma média de adesão de 15%, chegando a 30% em alguns casos, de planos de TV vendidos juntamente com a banda larga. O objetivo de empresas que oferecem esse tipo de serviço para os provedores, como a MulTV, é que até o fim do primeiro semestre de 2020 cerca de 40 provedores regionais de internet passem a oferecer o serviço de televisão por assinatura.

CONNEXTING HEROES_FOTO

Inovação de ISPs durante a Pandemia

Já no primeiro semestre de 2020, o mundo vive uma crise relacionada à saúde que assola o mundo, criada pelo novo Coronavírus, causador da COVID-19.

A pandemia, a quarentena e outras medidas de isolamento social têm obrigado a maioria das empresas ao redor do mundo a se adaptarem às novas dinâmicas.

É o caso da A T-Moblile, que anunciou o lançamento do ‘Connecting Heroes’ (Conectando Heróis) nos EUA. Trata-se de um compromisso de 10 anos em fornecer serviço gratuito e acesso 5G às agências de atendimento. Isso inclui todos os departamentos públicos e sem fins lucrativos, estaduais e locais sem fins lucrativos, policiais e EMS.

Nos próximos meses, muitas cidades dos EUA preveem déficits de receita – e isso significa que funcionários municipais essenciais enfrentarão demissões, licenças, cortes de salários e congelamentos de contratações. Agências estaduais e municipais de resposta rápida enfrentam orçamentos apertados, ano após ano. Portanto, eles são forçados a fazer trocas impossíveis entre fornecer equipamentos essenciais para salvar vidas ou os serviços de comunicação necessários para realizar seu trabalho. O programa Connecting Heroes economizará dessas agências até US $ 7 bilhões – fundos que podem ser direcionados a pagamento extra, ferramentas para salvar vidas e melhor suporte para os socorristas.

A iniciativa da T-Mobile foi lançada em novembro de 2019. Mas a história que ressoará com os consumidores será focada em como a empresa de telecomunicações entrou em cena para apoiar as pessoas importantes, quando suas necessidades eram mais urgentes.

E você, Provedor. O que está fazendo para apoiar alguns dos trabalhadores mais valiosos da sociedade durante esse momento?