Internet que vamos usar no futuro próximo_FOTO

A internet que vamos usar no futuro próximo

O ponto em comum das tendências é o crescimento da demanda de largura de banda em redes fixas, o que exige melhorar a infraestrutura óptica

Por Rafael Kohiyama – Área Técnica Fibracem

Pode ser que a leitura desse artigo tome alguns minutos do seu dia, mas certamente nesse mesmo tempo de leitura, se observarmos o que acontece no universo virtual da internet, vamos nos impressionar com a quantidade enorme de downloads, mensagens, logins, tweets, compras online, visualizações de vídeos, games, entre outras aplicações que ocorrem simultaneamente em 60 segundos de Internet, conforme podemos observar no infográfico abaixo.

 Fonte: https://www.allaccess.com/merge/archive/31294/infographic-what-happens-in-an-internet-minute

Isso é um retrato da sociedade em que vivemos e não uma novidade relacionada ao surgimento do novo coronavírus, o qual seguramente alavancou certos comportamentos devido ao confinamento. As pessoas se viram obrigadas, de uma forma ou de outra, a recorrer às opções online de atividades que antes estavam acostumadas a fazer presencialmente. Exemplos disso são o crescimento do home-office, do EAD (Ensino à Distância) e até mesmo da telemedicina. Após sete meses desde o decreto da pandemia, muitos especialistas já vislumbram como será o cenário Pós Pandemia: home-office definitivo ou de jornada híbrida, educação remota, aumento de acessórios de smart homes (monitoramento, entretenimento, etc.).

Além disso, novas tecnologias emergentes como VR / AR (Realidade Virtual / Realidade Aumentada), games ou simulações (treinamentos) em holodecking (https://www.youtube.com/watch?v=lWp_k5bvNmw), transmissões em 8K são aplicações que exigirão velocidades mínimas na ordem de Gbps. Sendo assim, não é à toa que o plano estratégico da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), responsável por regularizar a internet no Brasil, anunciou seu objetivo de aumentar a velocidade média da banda larga fixa contratada pela população para 150 Megabits por segundo (Mbps), até 2023, um crescimento cerca de que três vezes maior que os 45 Mbps atuais.

Fonte: https://www.reddit.com/r/Cinema4D/comments/68jfdj/april_to_the_holodeck_c4dps/

O ponto em comum dessas tendências é o crescimento da demanda de largura de banda em redes fixas, por isso alguns definem esse fenômeno como “A Sociedade do Gigabit”, ou seja, o nível de serviço (largura de banda) antes exigido majoritariamente em meios corporativos está agora migrando para o meio residencial, onde estão a maioria dos usuários. Com o crescimento do consumo de dados, faz-se necessário melhorar também a infraestrutura que nos trazem esses dados. Por isso podemos observar (gráficos abaixo da @Omdia), por exemplo, a migração ao longo dos anos entre as tecnologias de acesso à banda larga tendendo para a fibra óptica.

Quais mudanças ainda estão por vir? E para os ISPs (Internet Service Providers)?

Impossível, sem o uso de uma “bola de cristal”, dizer qual seria o aplicativo ou a principal funcionalidade da Internet que se tornará o novo Netflix, ou o novo Facebook nos próximos anos. Mas uma coisa podemos afirmar categoricamente, a tendência é que o uso de dados continue aumentando, pois a sociedade tem sede de estar conectada, cada vez mais e de diversas formas, sempre exigindo melhor qualidade das redes, que são os verdadeiros “portais” e nos levam para esse universo virtual da internet.

Para dar “vazão” a todo esse fluxo de dados, investimentos relevantes vem ocorrendo na melhoria da internet de banda larga (tanto na ponta dos clientes que contratam a internet via fibra, como na ponta dos provedores que estão melhorando os serviços ofertados).

Os ISPs já estão projetando suas redes com fibra óptica levando em contas as novas tecnologias disponíveis no mercado, como equipamentos (OLT/ONT) que trabalham com protocolos XG-PON ou XG(S)-PON e atingem velocidades de 2,5 a 10 Gbps por porta do equipamento, melhorando dessa forma as redes atuais baseadas no protocolo GPON (que ficam em velocidades de 1,25 a 2,5 Gbps por porta).

Image© 2020 Optical Society of America

Fonte: Progress of ITU-T higher speed passive optical network (50G-PON) standardization – Dezhi Zhang, Dekun Liu, Xuming Wu, and Derek Nesset https://www.osapublishing.org/jocn/fulltext.cfm?uri=jocn-12-10-D99&id=432860

A grande vantagem é que para implementar essas novas tecnologias XG-PON e XG(S)-PON a infraestrutura de fibra óptica já construída (para rede GPON) será totalmente compatível. Como é possível observar na imagem, os comprimentos de onda (nm) por onde trafegam os dados são diferentes para os protocolos e, portanto, não se sobrepõem. Ou seja, a fibra óptica pode ser entendida como uma estrada contendo várias pistas e cada uma delas permitirá o tráfego em um único sentido (Up ou Down), de forma que não ocorram colisões.

Portanto, os ISPs estão relativamente tranquilos na questão de largura de banda suportada pela fibra óptica. Dessa forma, os esforços hoje encontram-se focados na melhoria da infraestrutura óptica, fazendo com que as redes sejam mais confiáveis quando estejam em operação, mas que também inovem com tecnologias de instalação e ativação dos clientes, possibilitando realizar de forma massiva as tão necessárias conexões ópticas que levam a internet do presente e do futuro aos usuários.  Uma das formas de inovar nessa questão da infraestrutura é a utilização de tecnologias preconectorizadas para construção otimizada de redes ópticas.

A Fibracem está totalmente focados em produzir um portfólio completo de produtos para construção de infraestrutura óptica, pois entendemos – e confirmamos com a pandemia desse ano – que cada vez mais é preciso pensar em itens que trazem soluções, que otimizam recursos, que facilitem o trabalho dos técnicos e tragam a satisfação no acesso à internet de hoje, e do futuro.

Retomada_FOTO

Retomada dos eventos presenciais da EXPOISP acontece em novembro

O evento regional para Provedores de Internet irá promover seu encontro em Manaus seguindo todos os protocolos de segurança

Para a EXPOISP Brasil, o mês de novembro traz grandes expectativas. Depois de mais de 8 meses sem realizar suas atividades presenciais, a produtora divulgou quatro cidades onde serão realizadas a EXPOISP Expedição.

“Depois de muitos pedidos dos provedores e da sinalização positiva do Governos de alguns estados do Brasil, iremos retomar a agenda de eventos presenciais da EXPOISP Expedição a partir de novembro de 2020.” – afirma o setor de Marketing da produtora do encontro – Start Produções e Eventos.

A primeira atividade da EXPOISP Expedição nessa retomada será no dia 04 de novembro, em Manaus – AM. A programação do evento será definida respeitando a lotação máxima do local e o distanciamento mínimo. Além disso, a EXPOISP Brasil visando a saúde a segurança de todos os envolvidos, irá adotar todas as medidas de segurança durante a realização de suas atividades presenciais.

Com programação de workshops sobre os principais temas para prestadores de serviço que já atuam no setor ou que desejam investir nesse mercado, o encontro entre provedores e os principais especialistas do setor pretende debater desde dúvidas sobre orçamento até a questões técnicas. A proposta do evento é ampliar a visão dos participantes sobre o mercado e apontar as oportunidades do setor para gerar novos negócios.

Atualmente, esse setor composto de empreendedores regionais representa 73% do total de novos acessos à banda larga no País. Por isso, a iniciativa da EXPOISP Expedição levará especialistas e os principais fornecedores de tecnologia para telecomunicações diretamente ao encontro destes profissionais gratuitamente.

O evento presencial da EXPOISP Expedição contará nessa retomada com a presença de expositores e terá sua área de palestras projetada para respeitar os protocolos de segurança.

Todo cuidado para receber os visitantes presenciais.

Para segurança, em prol da saúde de cada visitante, a estrutura do evento vai oferecer medidas necessárias, tais como:

• o credenciamento será feito pela internet;

• medição de temperatura logo na entrada;

• corredores mais amplos para melhor deslocamento;

• sinalizações com distanciamento mínimo entre participantes;

• o local contará com totens de álcool em geral por toda a parte;

• e obrigatoriedade do uso de máscara durante o evento.

As reformulações visam evitar o máximo de contato entre pessoas e a melhor experiência durante o evento.

A primeira parada da EXPOISP Expedição será em Manaus – AM, no dia 04 de novembro. O evento será realizado no NOVOTEL – AV. Mandi, 04. Em seguida, o evento de provedores regionais irá desembarcar em Fortaleza no dia 18 de novembro, Salvador, 03 de dezembro e Belo Horizonte no dia 17 de dezembro.

As vagas para o público participante são limitadas e as inscrições podem ser realizadas gratuitamente no site: www.expedicao.expoispbrasil.com.br/

Próximo evento: EXPOISP Expedição Manaus
04/11/2020 – das 9h00 às 18h00
NOVOTEL
Av. Mandi, 04,
Distrito Industrial I, Manaus – Amazonas